O que são radicais livres?

Publicado em Informativos

Em níveis considerados normais, os radicais livres não são prejudiciais à saúde. Em excesso, essas moléculas podem ser tóxicas ao nosso organismo.

Radicais livres são moléculas instáveis e que apresentam um elétron que tende a se associar de maneira rápida a outras moléculas de carga positiva com as quais pode reagir ou oxidar. No nosso organismo, os radicais livres são produzidos pelas células, durante o processo de queima do oxigênio, utilizado para converter os nutrientes dos alimentos absorvidos em energia. Os radicais livres podem danificar células sadias do nosso corpo, entretanto, nosso organismo possui enzimas protetoras que reparam 99% dos danos causados pela oxidação, ou seja, nosso organismo consegue controlar o nível desses radicais produzidos através do nosso metabolismo. Os processos metabólicos não são a única fonte de radicais livres. Fatores externos podem contribuir para o aumento da formação dessas moléculas. Entre esses fatores estão:

- Poluição ambiental;
- Raios-X e radiação ultravioleta;
- Cigarro;
- Álcool;
- Resíduos de pesticidas;
- Substâncias presentes em alimentos e bebidas (aditivos químicos, hormônios, entre outros);
- Estresse;
- Consumo excessivo de gorduras saturadas (frituras, etc).

Os radicais livres podem prejudicar nossa saúde?

Em níveis considerados normais, os radicais livres não são prejudiciais à saúde. Em excesso, essas moléculas podem ser tóxicas ao nosso organismo. Os radicais livres podem contribuir para o surgimento de alguns problemas de saúde, como o enfraquecimento do sistema imunológico e o envelhecimento, bem como de distúrbios mais sérios, como artrite, arteriosclerose, catarata, entre outros.

O que fazer para evitar que nosso organismo acumule radicais livres?

Os antioxidantes são moléculas com carga positiva que se combinam com os radicais livres, tornando-os inofensivos. Uma alimentação rica em vegetais é a melhor opção para se proteger contra os radicais livres, diminuindo assim o risco de várias doenças e evitando o envelhecimento precoce.

Embora os antioxidantes ajam reduzindo a concentração de radicais livres, seu papel é modulador, moderador e não bloqueador, ou seja, a mera ingestão de vitaminas não evita completamente a ocorrência de doenças causadas pelos radicais livres, embora sua ausência possa favorecer, em alguns casos, a ocorrência delas.

Algumas substâncias antioxidantes

Existe uma série de substâncias antioxidantes, mais as principais são:

- Vitamina C: Frutas cítricas e vegetais verde-escuros (laranja, limão,
cerola, morango, brócolis, tomate, entre outros);
- Vitamina E: Presente principalmente no gérmen de trigo, mas também no óleo de soja, arroz, nozes, vegetais folhosos e legumes;
- Vitamina A: Cenoura, abóbora, brócolis, melão, etc;
- Zinco: Carnes, peixes, aves e leite;
- Selênio: Fígado, ave, etc;
- Licopeno: Tomate, etc.



Fonte Unimed